.

Teve lugar no passado sábado o Madeira Island Ultra Swim, uma competição de águas abertas que uniu a nado as ilhas do Porto Santo e da Madeira, numa distância superior a 40 Km. Esta maratona aquática caracteriza-se por ser uma prova sem paralelo entre as provas do género realizadas em todo o mundo, devido à sua extensão, ao facto de ser realizada com partida simultânea de todos os atletas (em competição directa) e de ter lugar em oceano aberto, com profundidades que chegam aos 3000 metros, numa zona que é popularmente conhecida como o "mar da Travessa".

Encontravam-se inscritos para a prova um total de 17 atletas: 11 na prova individual e 6 distribuídos por 2 equipas de 3 elementos.

Com condições de mar exigentes (ondulação significativa e vento contra), tanto para os nadadores, como para os canoístas e diversos membros das equipas de apoio, a prova teve início às 7h50m, junto ao ilhéu da Cal. Essas dificuldades levaram a que na primeira hora de prova, a progressão tivesse sido mais lenta que o previsto, face ao facto da ondulação se apresentar muito desordenada.

Nesta fase inicial, registaram-se quatro baixas entre os participantes: Duarte Paulini, que não chegaria a entrar na água para a partida, devido a indisposição; Carla Patrícia (com cerca de 40 minutos de prova), também com dificuldades de adaptação às condições de mar; Paulo Silva, pouco depois da primeira hora de prova; e Aurélio Góis, ligeiramente antes de metade do percurso, neste caso por dificuldades musculares.

Com a melhoria das condições de mar, veio a verificar-se uma mais rápida progressão dos nadadores.

Os restantes 13 atletas mantiveram-se na água até final da prova, resistindo a todas as dificuldades que foram surgindo. Com a melhoria das condições de mar, veio a verificar-se uma mais rápida progressão dos nadadores. Seis dos 13 nadadores em prova lograram alcançar a meta na Ponta de São Lourenço, enquanto os restantes 7 foram retirados da água pela organização, por razões de segurança, com o cair da noite.

Angélica André, Rafael Gil e Mário Bonança, três dos melhores nadadores portugueses de águas abertas, constituíram a estafeta que concluiu a prova em 10h09m26s (todos eles sem utilização de fato de neopreno), cerca de 2 horas mais do que o tempo estimado, caso o percurso tivesse sido realizado com boas condições de mar.

O vencedor individual da prova viria a ser o consagrado Miguel Arrobas, que seria o único nadador a solo a não recorrer à utilização de fato isotérmico. Arrobas viria a atingir a bóia de chegada colocada pela organização junto à Ponta de São Lourenço com 12h04m58s, tendo também passado pelas dificuldades finais do estado do mar e das correntes na fase de aproximação à Madeira.

Com uma excelente prova e deixando um notável exemplo de superação, o espanhol Carmelo Santana Sanchez, nadador de 55 anos com desvantagem funcional (um membro inferior amputado), viria a terminar em 12h35m38s, na 3.ª posição da geral e 2.º entre os nadadores que realizaram a prova individualmente.

Pedro Sousa viria a ser o 3º da prova individual e o melhor atleta madeirense na competição, conseguindo atingir a bóia de chegada com 12h39m42s, realizando também ele uma excelente prova, face às condições encontradas.

Frederico Silva, depois duma fase inicial com maior precaução, encetou uma excelente recuperação, terminando já muito perto da bóia de chegada, tendo sendo recolhido pelas embarcações de apoio devido ao cair da noite, mas ainda antes do tempo limite de prova das 14h00m.

Outro atleta que se encontrava próximo da meta e com possibilidades de atingi-la ainda dentro das 14h00 regulamentares, era Humberto Gonçalves, que tal como Federico Silva foi também recolhido por razões de segurança.

A argentina Maria Angeles Simon viria a passar por grandes dificuldades na fase inicial da prova, por falta de adaptação às condições de mar, mas lutando por não abandonar a prova, conseguiu depois com a melhoria das condições de mar recuperar diversas posições e impor um bom ritmo.

Sérgio Pereira (que fez a prova individualmente) e a estafeta constituída por Catarina Alves, Mafalda Freitas e João Pereira, viriam também a realizar uma boa prova, tendo ficado a ideia de que noutras condições de mar, teria sido possível atingirem a meta antes do cair da noite e dentro do tempo limite de prova.

A organização da prova, da responsabilidade da Associação de Natação da Madeira, e o seu Director, Paulo Falé, contaram com a preciosa colaboração da Capitania do Porto do Funchal (Marinha Portuguesa), Clube Naval do Porto Santo, SANAS Madeira, Parque Natural da Madeira, Câmara Municipal do Porto Santo, Câmara Municipal de Machico e Federação Portuguesa Natação, para além dum alargado número de embarcações de apoio, empenhadas no esquema de segurança do evento graças à disponibilidade dos seus proprietários e skippers.

Nota de destaque ainda para os importantes apoios e colaborações da Quinta do Lorde, Serviço Regional de Proteção Civil, Secretaria Regional do Turismo, Direção Regional de Juventude e Desporto, Empresa de Cervejas da Madeira, Madeira Medical Center, Ventura do Mar, Film On, Clube Naval do Funchal, Associação Regional de Canoagem, Associação Regional Vela da Madeira, Ludens Clube de Machico e Bioforma. Outro papel fundamental foi o desempenhado pelos 39 canoístas, 4 médicos e 4 enfermeiros e escuteiros marítimos, no apoio constante à prova.

Um bem-haja e todos.

Avelino Silva Presidente Associação de Natação da Madeira

Wednesday, 02 September 2015 12:46

TRAVESSIA COLOCA RESISTÊNCIA À PROVA

Diário de Notícias - Desporto
TRAVESSIA COLOCA RESISTÊNCIA À PROVA
Madeira Islands Ultra Swim liga Madeira ao Porto Santo
Jornalista: Pedro Freitas Oliveira
Data: 02 de Setembro 2015

 

Após avaliação das previsões meteorológicas, está agendada para sábado a partida do Madeira Islands Ultra Swim (MIUS), prova de natação que vai ligar a Madeira ao Porto Santo numa distância de 42 Km (22,7 milhas náuticas). É apelidada como a mais extensa das travessias mundiais da atualidade, realizada com partida simultânea. A prova tem 17 inscritos, dois dos quais estrangeiros: a argentina Simón Angeles e o espanhol Carmelo Sánchez.
Os participantes do MIUS vão ter o tempo limite de 14 horas para a conclusão da prova, que pode ser efetuada em três modalidades: a título individual numa travessia denominada por ‘Lobo Marinho’, com 42 Km. Já a travessia ‘Mero’ destina-se a equipas de dois elementos e é efetuada por estafetas (21 Km a cada um). A travessia denominada ‘Freira da Madeira’ é orientada para formações constituídas por três nadadores, igualmente em estafetas (14 Km cada um). 
Este é um evento com uma componente ecológica bem vincada. A sensibilização para as questões ambientais, bem como para a biodiversidade marinha da Madeira são objetivos da organização com esta iniciativa que promete crescer ainda mais nos próximos anos. 
A partida do MIUS vai ter lugar na praia da Calheta, junto ao Ilhéu da Cal, uma das áreas marinha protegidas do Porto Santo. A conclusão da prova será na Prainha, no Caniçal. Durante toda a prova os nadadores vão ser ‘vigiados’ de perto por embarcações de apoio, como é o caso da embarcação principal semirrígida Salva-Vidas ISN, para transporte do diretor da prova, autoridades marítimas, equipa médica da EMIR e coordenação das comunicações.
No acompanhamento da prova vão estar também outros três semirrígidos, bem como motas de água e caiaques, além da embarcação do Parque Natural da Madeira. 
Duarte Mendonça já fez 8:16:19
Em 2008 o nadador madeirense Duarte Mendonça efetuou a travessia Porto Santo/Madeira sozinho, completando o percurso em 8:16:19 horas. É esse o tempo de referência para os 17 inscritos na primeira edição do Madeira Islands Ultra Swim.

Published in Notícias Regionais
Tuesday, 19 May 2015 21:18

Parabéns Aurélio Góis - CD Nacional

PARABÉNS AURÉLIO GOIS

Travessia Nado Machico-Funchal
19,4 kms, 6h09m, terça-feira, 19 de maio de 2015

O nadador de águas abertas Aurélio Góis do Clube Desportivo Nacional concluiu hoje (terça-feira, 19 de maio) com sucesso, o seu treino no mar desde a praia de Machico até ao Funchal (praia São Tiago-Zona Velha) em 6h09m, percorrendo uma distância de 19,4 kms.
O atleta foi sempre acompanhado pelo Rui Gonçalves, num caiaque.
Este treino está inserido na preparação da travessia entre Madeira - Desertas, evento denominado por ‘Santa Cruz – Desertas Natural Swim’, programado para 3 a 7 de Junho de 2015, numa organização do Iate Clube Santa Cruz, inserido nos 500 anos do Concelho de Santa Cruz.

Published in Notícias Regionais
Page 1 of 2
5721658